Roberto Francisco Rômulo Belarmino veio ao mundo no dia 04 de outubro de 1542, em Montepulciano, Itália. Era filho de pais humildes e católicos de muita fé. Tiveram doze filhos, dos quais seis abraçaram a vida religiosa, tal foi a influência do ambiente cristão que proporcionaram à eles, com os seus exemplos.

O menino Roberto nasceu franzino e doente. Talvez por ter tido tantos problemas de saúde nos primeiros anos de existência, dedicou atenção especial aos doentes durante toda a vida. Embora constantemente enfermo Roberto demonstrou desde muito cedo uma inteligência surpreendente que o levou ao magistério e à uma carreira eclesiástica vertiginosa. Em 1563 foi nomeado professor do colégio de Florença e, um ano depois, passou a lecionar retórica no Piemonte. Em 1566 foi para o Colégio de Pádua, onde também estudou teologia e, em 1567, mudou para a escola de Lovaina, sendo então já muito conhecido em todo o país como excelente pregador.

Em 1571, tendo concluído todos os estudos, recebeu a ordenação sacerdotal e entrou para a Companhia de Jesus. Unindo a sabedoria das ciências terrenas, o conhecimento espiritual e a fé, escreveu os três volumes de uma das obras teológicas mais consultadas de todos os tempos: “As Controvérsias Cristãs sobre a Fé”, um tratado sobre todas as heresias.

Mais tarde, em 1592 Belarmino foi nomeado diretor do Colégio Romano, que contava com duzentos e dois professores e dois mil estudantes, entre os quais duzentos jesuítas. Ali realizou um trabalho de tamanha importância que, algum tempo depois, foi nomeado para o cargo de superior provincial napolitano. Nesta função ficou apenas por dois anos, pois o Papa Clemente VIII reclamava sua presença em Roma, para auxiliá-lo como consultor no seu pontificado. Nesse período produziu outra obra famosa: “Catecismo”, que teve dezenas de edições e foi traduzido para mais de cinqüenta idiomas.

Com a morte do Papa Clemente VIII, o seu sucessor, Papa Leão XI, governou a Igreja apenas por vinte e sete dias, vindo a falecer também. Foi assim, que o nome de Roberto Belarmino recebeu muitos votos nos dois conclaves, para a eleição do novo Sumo Pontífice. Mas, no segundo, surgiu o novo Papa, Paulo V, que imediatamente o chamou para trabalhar consigo no Vaticano. Esse trabalho ocupou Belarmino durante os vinte e dois anos seguintes.

Morreu aos setenta e nove anos de idade, em 17 de setembro de 1621 apresentando graves problemas físicos e de surdez, conseqüência dos males que o acompanharam por toda a vida. Com fama de santidade ainda em vida, suas virtudes foram reconhecidas pela Igreja, sendo depois beatificado, em 1923. A canonização de Santo Roberto Belarmino foi proclamada em 1930. No ano seguinte, recebeu o honroso título de Doutor da Igreja. A sua festa litúrgica foi incluída no calendário da Igreja na data de sua morte, a ser celebrada em todo o mundo cristão

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA