Padre da Igreja, grego de nascimento, filho de pais cristãos, nasceu na ilha de Esmirna, no ano 130. Foi discípulo de Policarpo, outro Padre e Santo da Igreja. Dele, Irineu pôde recolher ainda viva a tradição apostólica, pois Policarpo fora consagrado Bispo pelo próprio João Evangelista, o que torna importantíssimos os seus testemunhos doutrinais.

Muito culto e letrado em várias línguas, Irineu foi ordenado por São Policarpo, que o enviou para a Gália, atual França, onde havia uma grande população de fiéis cristãos procedentes do Oriente. Lá trabalhou ao lado de Fotino, o primeiro Bispo de Lion, que em 175 o enviou à Roma, para junto do Papa Eleutério resolver a delicada questão doutrinal dos hereges montanistas. Estes fanáticos, vindos do Oriente, pregavam o desprezo pelas coisas do mundo, anunciando o breve retorno de Cristo, para o Juízo Final.

Contudo, tanto o Papa quanto Irineu, foram tomados pela surpresa da bárbara perseguição decretada pelo imperador Marco Aurélio. Rapidamente, em 177, ela atingiu a cidade de Lion, ocasionando o grande massacre dos cristãos, todos mortos pelo testemunho da fé.

Um ano depois, Irineu retornou à Lion, onde foi eleito e aclamado sucessor do Bispo mártir, Fotino. Nesse cargo ele permaneceu vinte e cinco anos. Ocupou-se da evangelização e, combateu principalmente a heresia dos gnóticos, além das outras que proliferavam nesses primeiros tempos. Obteve êxito junto ao Papa Vitor I, na questão da comemoração da festa da Páscoa, quando lhe pediu que atuasse com moderação, para manter a união entre a Igreja do Ocidente e do Oriente.

A sua obra escrita mais importante foi o tratado “Contra as Heresias”, onde trata da falsa gnose, e depois, de todas as outras heresias da época. O texto grego foi perdido, mas existem as traduções: latina, armena e siríaca. Importante, não só do lado teológico, onde expôs já pronta a teoria sobre a autoridade doutrinal da Igreja, mas ainda do lado histórico, pois documentou e nos apresentou um quadro vivo das batalhas e lutas de então.

Mais tarde , um outro tratado, chamado “Demonstração da pregação apostólica” foi encontrado inteiro, numa tradução armena. Além de vários fragmentos de outras obras, cartas, discursos e pequenos tratados.

Irineu morreu como mártir, no dia 28 de junho de 202, em Lion e sua festa litúrgica ocorre nesta data. As relíquias de Santo Irineu, estão sepultadas junto com os Mártires da Igreja de Lion, na Catedral desta cidade, na França.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA