Antonio Maria nasceu na rica família Zacarias da tradicional nobreza italiana, na cidade de Cremona, em 1502. Era o filho único de Lázaro e Antonieta, já que seu pai morreu quando ele tinha apenas dois anos de idade. Nesta ocasião não faltaram os pretendentes à mão da jovem viúva, que contava com dezoito anos de idade. Mas Antonieta preferiu afastar-se de todos. Tornou-se exemplo de vida austera, séria e voltada para a fé, dedicando-se exclusivamente à educação e formação do filho. E seu empenho ilustra a alma do homem que preparou para o mundo e para a Igreja.

Em pouco tempo, Antonio Maria era conhecido por sua inteligência precoce e, ao mesmo tempo pela disposição à caridade e humildade. Contam os escritos que, era comum chegar do colégio sem seu caro manto de lã, pois o deixava sobre os ombros de algum mendigo que estava exposto ao rigor do frio.

Ao completar dezoito anos de idade doou toda sua herança para sua mãe, e foi estudar filosofia em Pávia e medicina em Pádua. Ao contrário dos demais estudantes, que pouco aprendiam e mais se dedicavam à vida de diversões das metrópoles, como em todas as épocas, Antonio Maria usava todo seu tempo para estudar e meditar. Ao invés se vestir como fidalgo preferia as roupas simples e comportava-se com humildade.

Depois de formado, exerceu a medicina junto ao povo, cuidando principalmente dos que não tinham recursos. Conta a tradição que, além de curar os males do corpo, ele confortava as tristezas da alma de seus pobres pacientes. Distribuía os remédios científicos, juntamente com o conforto, esperança e paz de espírito. Finalmente sua espiritualidade venceu a ciência e, em 1528, Antonio Maria ordenou-se sacerdote.

Com as bênçãos da mãe que ficou feliz, mas sozinha, ele exerceu seu apostolado em Milão. Ali, na companhia de Tiago Morigia e Bartolomeu Ferrari, fundou a congregação dos Clérigos Regulares de São Paulo, cujos membros ficaram conhecidos como “barnabitas”, pois a primeira casa da ordem foi erguida ao lado à igreja de São Barnabé, em Milão. Depois, com apoio da condessa de Guastalla, Ludovica Torelli, fundou também a congregação feminina das Angélicas de São Paulo e criou o Grupo de Casais, para os leigos. Toda sua Obra se voltou à reforma do clero e dos leigos, reaproximando-os dos legítimos preceitos cristãos.

Tendo como modelo São Paulo, era também um devoto extremado da Santa Eucaristia. Foi o padre Antonio Maria que instituiu as “quarenta horas de adoração ao Santíssimo Sacramento”, e também o soar dos sinos às 15hs para indicar a Paixão de Jesus na cruz.

Durante uma de suas numerosas missões de oração e pregação que efetuava na Itália meridional, foi acometido pela epidemia da se alastrava na região. Não tinha ainda completado os trinta e sete anos de idade, quando isto aconteceu. Como médico que era, sabia que a morte se aproximava, voltou então para os braços da dedicada mãe Antonieta.

Ele morreu, sob o teto da mesma casa onde nasceu, em 05 de julho de 1539 e foi canonizado em 1897. Tendo em vista a criação do Grupo de Casais, Santo Antonio Maria Zacarias é considerado o pioneiro da Pastoral Familiar na história da Igreja.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA