Cerca de 36 estudantes do colégio San Gabriel de Quito, enquanto jantavam no refeitório, observaram no dia 20 de abril de 1906 a Virgem Dolorosa que, dentro do quadro pendurado em uma das paredes, abria e fechava os seus olhos. Isto aconteceu depois de cerca de 40 anos da volta da Companhia de Jesus ao Equador e da reinstalação do seu centro educativo.

Um dos alunos avisou ao sacerdote Andrés Roesh, encarregado da escola, e lhe disse que estava acontecendo “um prodígio”.

O inexplicável evento durou aproximadamente 15 minutos e alguns afirmam que a imagem também derramou lágrimas.

Depois de uma extenuante investigação, a autoridade eclesiástica local decretou no dia 31 de maio daquele ano que “o acontecimento, verificado no colégio dos jesuítas, foi comprovado como materialmente certo”.

“Pelas circunstâncias nas quais aconteceu”, afirma o decreto eclesiástico, o fato ocorrido no colégio San Gabriel com a imagem da Virgem “não pode ser explicado por meio de causas naturais” nem “pode ser atribuído a um influxo diabólico”.

“Como consequência deste acontecimento, podemos acreditar com fé puramente humana e, pelo mesmo, a imagem poderá ser venerada pela Igreja e podemos invocá-la com confiança especial”.

Com o passar dos anos, o colégio San Gabriel mudou de lugar e ficou longe do centro histórico, mas levaram a imagem ao seu novo local. Onde ocorreu o prodígio atualmente é uma capela.

O Papa rezou ante a Virgem Dolorosa no Equador 

Durante sua visita apostólica ao Equador em 2015, o Papa Francisco deixou um buquê de flores e rezou ante a imagem da Virgem dentro da Igreja da Companhia de Jesus.

Na Missa que presidiu no Parque Bicentenário em 7 de julho, a imagem foi levada em procissão e o Santo Padre acompanhou a celebração.

Fonte: ACI digital

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA