SANTOS BASÍLIO E GREGÓRIO – BISPOS E DOUTORES DA IGREJA

(branco – ofício da memória)

Basílio Magno e Gregório Nazianzeno (Turquia, séc. 4º), ambos monges e bispos, foram amigos e companheiros na missão. Bondoso e dedicado, Basílio organizou a Igreja, reformou o culto e deu atenção especial aos pobres. Gregório foi eminente humanista, orador e teólogo, além de arguto defensor da fé.

Primeira Leitura: 1 João 2,22-28

Leitura da primeira carta de são João – Caríssimos, 22quem é mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? O anticristo é aquele que nega o Pai e o Filho. 23Todo aquele que nega o Filho também não possui o Pai. Quem confessa o Filho possui também o Pai. 24Permaneça dentro de vós aquilo que ouvistes desde o princípio. Se o que ouvistes desde o princípio permanecer em vós, permanecereis com o Filho e com o Pai. 25E esta é a promessa que ele nos fez: a vida eterna. 26Escrevo isso a respeito dos que procuram desencaminhar-vos. 27Quanto a vós mesmos, a unção que recebestes da parte de Jesus permanece convosco, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine. A sua unção vos ensina tudo, e ela é verdadeira e não mentirosa. Por isso, conforme a unção de Jesus vos ensinou, permanecei nele. 28Então, agora, filhinhos, permanecei nele. Assim poderemos ter plena confiança quando ele se manifestar e não seremos vergonhosamente afastados dele quando da sua vinda. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 97(98)

Os confins do universo contemplaram / a salvação do nosso Deus.

  1. Cantai ao Senhor Deus um canto novo, / porque ele fez prodígios! / Sua mão e o seu braço forte e santo / alcançaram-lhe a vitória. – R.
  2. O Senhor fez conhecer a salvação, / e às nações, sua justiça; / recordou o seu amor sempre fiel / pela casa de Israel. – R.
  3. Os confins do universo contemplaram / a salvação do nosso Deus. / Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira, / alegrai-vos e exultai! – R.
Evangelho: João 1,19-28

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo João – 19Este foi o testemunho de João quando os judeus enviaram de Jerusalém sacerdotes e levitas para perguntar: “Quem és tu?” 20João confessou e não negou. Confessou: “Eu não sou o Messias”. 21Eles perguntaram: “Quem és, então? És tu Elias?” João respondeu: “Não sou”. Eles perguntaram: “És o profeta?” Ele respondeu: “Não”. 22Perguntaram então: “Quem és, afinal? Temos que levar uma resposta para aqueles que nos enviaram. O que dizes de ti mesmo?” 23João declarou: “Eu sou a voz que grita no deserto: ‘Aplainai o caminho do Senhor’ – conforme disse o profeta Isaías”. 24Ora, os que tinham sido enviados pertenciam aos fariseus 25e perguntaram: “Por que então andas batizando se não és o Messias, nem Elias, nem o profeta?” 26João respondeu: “Eu batizo com água; mas no meio de vós está aquele que vós não conheceis 27e que vem depois de mim. Eu não mereço desamarrar a correia de suas sandálias”. 28Isso aconteceu em Betânia além do Jordão, onde João estava batizando. – Palavra da salvação.

Reflexão:

As autoridades religiosas de Jerusalém estão incomodadas com João Batista. Tanto assim que enviam uma delegação para submetê-lo a interrogatório. As perguntas são de censura: “Por que é que você batiza, se não é o Messias, nem Elias, nem o Profeta?”. João coloca-se no seu lugar: ele é a voz que espalha por toda parte a Boa Notícia: “Preparem o caminho para o Messias”. Jesus vem depois de João, mas é maior do que ele. Já está no meio deles, mas ainda não o perceberam. Por vezes, gastamos tempo e energia em discussões sobre Jesus, como os judeus diante do Batista. Mais importante do que investigar a respeito de Jesus, é aceitá-lo em nossa vida com todas as suas exigências.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA