Médicos obrigados a recorrer a amputação.

O parto não correu como esperado e Ella, que vive em Torquay, no sul da Inglaterra, teve de sofrer uma amputação dos membros inferiores porque, segundo os médicos, o sangue coagulou. Depois de cinco dias em coma induzido, foi sujeita a uma cesariana e deu à luz uma menina sem qualquer problema de saúde, conta o Daily Mirror. Ella Clarke recebeu próteses e após dez horas de fisioterapia continua a tentar adaptar-se a elas, assim como os seus filhos. “A minha filha de cinco anos não conseguia olhar para mim sem que eu tivesse um cobertor por cima”, conta. “Foi um erro médico. Sinto que a minha vida me foi roubada”, acrescenta Ella que já tem os seus advogados a preparar um caso contra o hospital. O hospital chegou a pedir desculpa pelo sucedido mas Ella só teve uma resposta “Vieram cinco meses atrasados. Eu tenho oito filhos para criar, que vida vou ter?.” Esta mãe afirma que passou de uma mãe ativa para uma mãe agarrada a uma cadeira de rodas. “Não consegui parar de chorar. Nenhum ser humano devia ter que viver isto e, podia ter sido evitado”, diz.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA