Papa: olhando para Maria, transformemos nossa vida num dom

0
112

“Contemplando a imagem de Nossa Mãe hoje, peçamos a Deus um pouco deste estilo que Ele tem: a generosidade, a abundância, o bendizer, jamais amaldiçoar, e transformar a nossa vida num dom, num dom para todos”, palavras do Pontífice ao presidir à missa na Basílica Vaticana na festa da “Guadalupana”.

Bianca Fraccalvieri – Cidade do Vaticano

O Papa Francisco presidiu na manhã deste sábado, na Basílica de São Pedro, à santa missa na festa de Nossa Senhora de Guadalupe.

Desta vez, a participação numerosa da comunidade latino-americana de Roma teve que ser reduzida devido à pandemia, mas não faltaram os tradicionais cantos.

Já em sua homilia o Pontífice ressaltou três palavras contidas na liturgia e que se refletem também na Virgem de Guadalupe: abundância, bênção e dom.

“Abundância porque Deus sempre se oferece em abundância”, disse. Ele não conhece doses ou “cômodas parcelas”. Aliás, disse o Papa, Deus tem um limite, pelo menos um: a generosidade, a impossibilidade de doar-se senão em abundância.

A segunda palavra é bênção, e o encontro de Maria com Isabel foi uma bênção. Abençoar significa “bendizer”, explicou Francisco. Portanto o estilo de Deus é bendizer, enquanto o do diabo é amaldiçoar, é o estilo da mesquinhez, da incapacidade de doar-se totalmente.

Dom é a terceira palavra, pois esta abundância, este bendizer é um presente, um dom – um dom que é graça, divindade. O dom de Deus que nos é presenteado na abundância do seu Filho, por natureza, e na abundância de sua mãe, por graça. “Bem-aventurada és Tu entre as mulheres porque nos trouxeste o bendito.”

“Contemplando a imagem de Nossa Mãe hoje, concluiu Francisco, peçamos a Deus um pouco deste estilo que Ele tem: a generosidade, a abundância, o bendizer, jamais amaldiçoar, e transformar a nossa vida num dom, num dom para todos.”