A partir da varanda da qual por diversas ocasiões São João Paulo II saiu para saudar os fiéis no Palácio do Arcebispado de Cracóvia, o Papa Francisco dirigiu algumas palavras em seu primeiro encontro com os jovens participantes na Jornada Mundial da Juventude (JMJ).

Em suas palavras improvisadas em italiano, o Santo Padre recordou Maciej Szymon, o jovem voluntário que faleceu de câncer no último dia 2 de julho e que projetou uma grande quantidade de materiais para a JMJ de Cracóvia, como as imagens dos santos padroeiros e o kit peregrino.

A partir do testemunho de “Maciek”, o Papa exortou os jovens a não ter medo, porque Deus é grande, a escolher o “caminho justo” para chegar ao céu como fez o falecido voluntário.

A seguir, as palavras do Papa:

Saúdo-os cordialmente, vejo-os com grande entusiasmo e alegria.

Mas, agora, quero lhes dizer algo que entristece o coração. Façamos silêncio.

Um de vocês, Maciej Szymon Ciesla, tinha pouco mais de 21 anos, tinha estudado design gráfico e deixado seu trabalho para ser voluntários da JMJ.

Todos os desenhos das bandeiras são seus, as imagens dos santos padroeiros, o kit peregrino e muitas outras coisas que adornam a cidade. Neste trabalho, redescobriu sua fé.

Em novembro, foi diagnosticado com câncer. Os médicos não puderam fazer nada, nem sequer com a amputação da perna. Ele queria chegar vivo à visita do Papa, tinha um assento no trem, no qual agora o Papa viajará.

Mas, morreu em 2 de julho. As pessoas estão muito tocadas, porque ele fez um grande bem.

Agora, todos em silencia, pensemos neste companheiro de caminho, que trabalhou tanto por esta Jornada. E todos nós, em silêncio, de coração, rezemos. Cada um reze em seu coração, ele está presente entre nós.

(Todos rezam em silêncio)

Alguns de vocês podem pensar, este Papa nos entristece a noite… mas é verdade; e nós devemos nos habituarmos às coisas boas e às coisas ruins. Avida é assim, queridos jovens.

Mas, há uma coisa que não podemos duvidar: a fé desse menino, de nosso amigo que trabalhou tanto por esta JMJ, o levou ao céu e ele está com Jesus neste momento, olhando a todos nós.

E isso é uma graça, um aplauso a nosso companheiro (aplausos). Também nós o encontraremos um dia. Ah, era você! Prazer em conhecê-lo. A vida é assim, hoje estamos aqui, amanhã estaremos lá.

O problema é escolher o caminho justo como ele fez. Agradecemos ao Senhor porque nos dá esses exemplos de coragem, de jovens valentes que nos ajudam a seguir adiante na vida.

Não tenham medo, não tenham medo, porque Deus é grande, Deus é bom e todos nós temos algo de bom dentro.

Agora, me despeço, amanhã nos veremos. Vocês façam seu dever que é fazer bagunça a noite toda e façam ver a alegria cristã, a alegria que o Senhor lhes dá de ser uma comunidade que segue Jesus.

E agora, dou-lhes a bênção. E como aprendemos quando criança, antes de sairmos, saudamos a Mãe, todos saudamos a Virgem, cada um em seu próprio idioma.

(Ave Maria)

Abençoe-os o Deus todo-poderoso, Pai e Filho e Espírito Santo. Boa noite e rezem por mim.

A história de Maciek

O site oficial da JMJ cita o Pe. Grzegorz Suchodolski, secretário-geral do comitê organizador da Jornada, que afirma que “Maciek é uma das pessoas que durante as preparações para a Jornada Mundial da Juventude Deus chamou para Ele através do sofrimento. Ele não foi o único que passou por um período difícil de doença, mas somente o seu sacrifício foi completo e total”.

Maciej Szymon Ciesla era um designer gráfico da Academia de Belas Artes de Cracóvia. Ganhador de prêmios, com experiência. Chegou ao comitê organizador da JMJ em setembro de 2014, graças a um anuncia sobre voluntariado divulgado na universidade.

“Ele começou com a preparação gráfica para o primeiro retiro: em uma tentativa ele fez algo incrível. Após este retiro nós já sabíamos que Maciek é um profissional. Nós estávamos terminando o website em quatro pessoas. Foi muito difícil para nós: nós pedimos ajuda ao Maciek. Ele veio à tarde, após trabalhar por algumas horas”, comenta Monika Rybczy?ska, que trabalha na área de design gráfico do comitê organizador.

Maciek pediu demissão do emprego em dezembro de 2014 e entrou para a equipe de design gráfico da JMJ. Não estava muito comprometido com aIgreja; de fato, quando chegou, estava muito desanimado nesse sentido. Ainda assim, queria trabalhar lá.

“Uma vez ele me disse: sabe, Monika, eu estou aqui porque eu quero ainda acreditar que existe algo bom na Igreja”, recorda ela.

Junto com Monika, começou a trabalhar nas imagens para decorar a cidade. Em seguida, vieram os projetos do kit peregrino e das casulas.

Após a confirmação de sua doença e a pedido de seu pai, continuou trabalhando de casa. O câncer se espalhou para os pulmões e seus companheiros no voluntariado rezavam muito por ele: jejuavam e rezavam diariamente o terço da Divina Misericórdia por sua saúde.

“O que o Maciek deu ao Comitê Organizador além de seu belíssimo trabalho de design é a confiança de que Deus é maior do que as fraquezas e enfermidades humanas, que Ele pode transformá-las. Durante o seu trabalho no Comitê ele tornou-se uma pessoa que acredita e confia em Deus. Ele foi capaz de receber o seu sofrimento, aceitar a Cruz e tornou-se um professor para nós”, afirma Pe. Suchodolski.

Em maio deste ano, ele postou no Facebook: “Como a vida e as prioridades mudam rapidamente… e como nós temos os mais variados sonhos. Alguns sonham com carreira e fama, promoção, novo trabalho, nova propriedade, ou mesmo que o maior evento deste ano em Cracóvia (JMJ) seja um sucesso. Eu por 150 dias sonho com uma coisa… eu só queria viver”.

Em junho, Maciek teve a perna amputada e, depois de muito batalhar, faleceu no dia 2 de julho de 2016.

O funeral foi realizado em 5 de julho na Igreja do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo, em Katowice. Ele foi enterrado no cemitério da rua Józefowska, nesta cidade.

Sua família pediu doações para o Hospital São Lázaro, em vez de coroas e flores.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA