Internado por causa de um envenenamento, Padre Paulo Oliveira Costa, conhecido como Pe. Paulinho, da Comunidade Canção Nova, agradeceu pelas orações por sua recuperação e de sua mãe, e assegurou que a polícia investiga o caso.

“Quero agradecer pelas orações de cada um de vocês em meu favor e também em de minha mãe, dona Adelaide, pelo ocorrido no último sábado”, declarou o sacerdote em um vídeo publicado em sua página no Facebook na terça-feira, 30 de janeiro.

No sábado, 27 de janeiro, Pe. Paulinho e sua mãe, Adelaide Nogueira Costa, foram internados devido a uma intoxicação alimentar por envenenamento, após almoçarem na casa da família no distrito de Crisólia, em Ouro Fino (MG).

Dona Adelaide já teve alta hospitalar, mas Pe. Paulinho segue internado no Hospital Santa Paula, em Pouso Alegre (MG).

“Foi um grande susto, mas Deus foi vencedor mais uma vez”, expressou o presbítero, para quem o ocorrido foi “uma coisa inesperada e até um tanto quanto trágica. Mas, o pior não aconteceu, graças a Deus. E o nome do Senhor é glorificado e de sua Mãe, a Virgem Maria”.

“Passo por aqui para agradecer a todos e dizer a vocês que eu estou bem, mais firme ainda, mais convicto ainda da minha fé, da minha vocação. Mas também agradecer mesmo, primeiro a Deus, à minha família, aos meus irmãos e a todo o povo de Deus”, acrescentou.

Pe. Paulinho pediu aos fiéis que sigam rezando por ele, pois “o padre sempre vai estar orando por cada um de vocês”.

Segundo o sacerdote, “a Polícia está averiguando, estão indo atrás para saber o que aconteceu”. “Se Deus quiser, logo tudo vai terminar bem”.

A Polícia Civil abriu um inquérito para investigar o caso e, segundo o portal G1, trabalha com a possibilidade de envenenamento acidental, uma vez que chumbinho poderia ter sido colocado em uma carne moída por acidente. Dois gatos que comeram o alimento morreram.

Segundo o delegado Waldir Jorge Pelarico Junior, a possibilidade de a carne ter sido comprada já envenenada no açougue foi descartada, pois a mãe de Pe. Paulinho teria ingerido o alimento na sexta-feira e não passou mal.

Por isso, “acreditamos que, por hora, não temos nenhum suspeita em relação ao açougue”, afirmou o delegado.

O responsável pelas investigações declarou ainda que a hipótese de tentativa de homicídio também está sendo avaliada. “Essas duas possibilidades, nós não estamos descartando. Estamos trabalhando conjuntamente”.

“Com as informações trazidas para dentro do inquérito por meio das testemunhas e principalmente por meio da oitiva do Padre Paulinho, poderemos chegar a uma conclusão sobre o fato. Além, é claro, dos testes químicos que serão feitos nos animais e também nos alimentos”, completou.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorTestemunhos
Próximo artigoCNBB prepara a abertura da CF 2018

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA