Antes de ser Papa foi monge beneditino e abade de Saint-Ger­main de Auxerre e de Saint-Victor de Marselha. Subiu ao sólio pon­tifício em 1362 e se esforçou para fazer retomar a Sé Apostólica a Roma, mas não foi bem sucedido e precisou regressar a Avignon, na França e ali morreu meses depois.

Urbano pertencia a uma nobre família francesa. Quando jovem estudou ciências jurídicas e depois lecionou direito em Montpellier e na própria Avignon. Um dia, trocou a laureada toga pelo humilde hábito de monge, chegando a ocupar altos cargos dentro da Ordem beneditina.

Sua biografia descreve como “professor emérito, estudioso de renome, abade de iluminada doutrina e espiritualidade”. Por tudo isso foi escolhido pelo Papa Inocêncio IV para desempenhar missões diplomáticas delicadas. Pelo mesmo motivo, quando Inocêncio morreu, foi eleito seu sucessor, mesmo não sendo cardeal.

Seu pontificado durou oito anos, mas caracterizou-se, segundo os registros oficiais, pela sábia administração, pelo esforço de renovar os costumes e pela nobreza de intenções. Ele reformou a disciplina eclesiástica e reorganizou a corte pontifícia de maneira que fosse um exemplo de vida cristã, cortando pela raiz muitos abusos. Mas também se preocupava com a instrução do povo.

Era a época do humanismo e o ex-professor de direito não mediu esforços para promover as ciências e criar novos centros de estudos. A pedido do rei da Polônia, edificou e fundou a universidade da Cracóvia e, na universidade de Montpellier, fundou um colégio médico, ajudando pessoalmente estudantes pobres.

No terreno diplomático e militar seu trabalho também foi reconhecido. Organizou uma cruzada contra os turcos muçulmanos que ameaçavam a Europa. No plano missionário, enviou numerosos grupos de religiosos às regiões européias ainda necessitadas de evangelizadores, como a Bulgária e a Romênia. Organizou também uma expedição missionária para levar a palavra aos mongóis da longínqua Ásia.

Uma grande meta do Papa Urbano V, porém, era levar de volta a sede da Igreja para Roma. Obteve isso, em outubro de 1367, sendo recebido com entusiasmada aclamação popular.

Foi o primeiro papa a se estabelecer no palácio ao lado da Basílica de São Pedro, no Vaticano. Desde então, tornou-se a residência oficial dos pontífices. Mas a paz durou pouco. Alguns anos depois Urbano V foi novamente obrigado a deixar Roma, e voltar para Avignon, onde faleceu em 19 de dezembro de 1370.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA