O Secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, condenou os atentados terroristas desta terça-feira, 22, no aeroporto e metrô de Bruxelas, capital da Bélgica.

Ban enviou condolências às famílias das vítimas e expressou solidariedade à população e ao governo belga.

O chefe da ONU afirmou que “os ataques desprezíveis desta terça-feira atingiram o coração do país e centro da União Europeia”. Ele espera que os responsáveis pela ação sejam levados rapidamente à justiça.

Ban tem plena confiança no compromisso da Bélgica e da UE com os direitos humanos, a democracia e a coexistência pacífica. Segundo ele, esses princípios vão servir de base para a resposta ao ódio e à violência dos quais o país foi vítima.

O Presidente da Assembleia Geral da ONU, Mogens Lykketoft também condenou os atentados. Ele lembrou que nas últimas semanas, o mundo “presenciou atrocidades na Turquia, na Costa do Marfim e agora na Bélgica”.

Ameaça

Lykketoft disse que os atos de terrorismo são injustificáveis e que eles representam a ameaça mais séria à paz e à segurança internacionais.

A Organização Mundial do Turismo foi mais uma a condenar os atentados terroristas.

O Secretário-Geral da OMT, Taleb Rifai, divulgou comunicado em nome da comunidade internacional do turismo expressando pêsames às famílias e amigos das vítimas.

Rifai afirmou que “esse não foi um ataque contra a Bélgica, mas sim um ataque contra todos”.

Segundo ele, esses eventos trágicos lembram, mais uma vez, que a comunidade internacional está diante de uma ameaça mundial que precisa ser enfrentada globalmente.

Por Canção Nova, com Rádio Vaticano

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA