13ª SEMANA COMUM

(verde – ofício do dia da 1ª semana do saltério)

Jesus provoca incompreensão por seu modo de agir e de se relacionar com os pobres e pecadores. Mais que sacrifícios e condenações, Deus quer misericórdia.

Primeira Leitura: Amós 8,4-6.9-12

Leitura da profecia de Amós – 4Ouvi isto, vós que maltratais os humildes e causais a prostração dos pobres da terra; 5vós que andais dizendo: “Quando passará a lua nova, para vendermos bem a mercadoria? E o sábado, para darmos pronta saída ao trigo, para diminuir medidas, aumentar pesos e adulterar balanças, 6dominar os pobres com dinheiro e os humildes com um par de sandálias, e para pôr à venda o refugo do trigo?”9“Acontecerá que naquele dia, diz o Senhor Deus, farei que o sol se ponha ao meio-dia e em pleno dia escureça a terra; 10mudarei em luto vossas festas e em pranto todos os vossos cânticos; farei vestir saco a todas as cinturas e tornarei calvas todas as cabeças, o país porá luto, como por um filho único, e o final desse dia terminará em amargura. 11Eis que virão dias, diz o Senhor, em que enviarei fome sobre a terra; não fome de pão nem sede de água, mas de ouvir a palavra do Senhor”. 12Os homens vaguearão de um mar a outro mar, circulando do norte para o oriente, em busca da palavra do Senhor, mas não a encontrarão. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 118(119)

O homem não vive somente de pão, / mas de toda palavra da boca de Deus.

  1. Feliz o homem que observa seus preceitos / e de todo o coração procura a Deus! – R.
  2. De todo o coração eu vos procuro, / não deixeis que eu abandone a vossa lei! – R.
  3. Minha alma se consome o tempo todo / em desejar as vossas justas decisões. – R.
  4. Escolhi seguir a trilha da verdade, / diante de mim eu coloquei vossos preceitos. – R.
  5. Como anseio pelos vossos mandamentos! / Dai-me a vida, ó Senhor, porque sois justo! – R.
  6. Abro a boca e aspiro largamente, / pois estou ávido de vossos mandamentos. – R.
Evangelho: Mateus 9,9-13

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, 9Jesus viu um homem, chamado Mateus, sentado na coletoria de impostos e disse-lhe: “Segue-me!” Ele se levantou e seguiu a Jesus. 10Enquanto Jesus estava à mesa, em casa de Mateus, vieram muitos cobradores de impostos e pecadores e sentaram-se à mesa com Jesus e seus discípulos. 11Alguns fariseus viram isso e perguntaram aos discípulos: “Por que vosso mestre come com os cobradores de impostos e pecadores?” 12Jesus ouviu a pergunta e respondeu: “Aqueles que têm saúde não precisam de médico, mas sim os doentes. 13Aprendei, pois, o que significa: ‘Quero misericórdia e não sacrifício’. De fato, eu não vim para chamar os justos, mas os pecadores”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

Por prestar serviço aos ocupantes romanos, os cobradores de impostos eram malvistos ou mesmo desprezados pelos judeus. Jesus, que veio para oferecer a salvação a todos, não se deixa levar por esses preconceitos. Por isso chama justamente um cobrador de impostos para ser seu discípulo. Esse modo de pensar e agir de Jesus ganha evidência quando se dispõe a participar de uma refeição a que comparecem também cobradores de impostos e pecadores. Um prato cheio para os fariseus (o que faziam aí?) que censuram a atitude do Mestre por se misturar com essa gente! Jesus argumenta: os doentes é que precisam de médico! À força de observâncias, os fariseus se consideram sãos e justos: permanecem fechados à misericórdia do Senhor, da qual Mateus se torna verdadeira testemunha.

(Dia a dia com o Evangelho 2016 – Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp)

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA