1ª Leitura – Tg 4,13-17

Não sabeis nem mesmo o que será da vossa vida!
Devíeis dizer: Se o Senhor quiser.
Leitura da Carta de São Tiago 4,13-17 Caríssimos:
13 E agora, vós que dizeis:
‘Hoje ou amanhã iremos a tal cidade,
passaremos ali um ano, negociando e ganhando dinheiro’.
14 No entanto,
não sabeis nem mesmo o que será da vossa vida, amanhó!
Com efeito, não passais de uma neblina
que se vê por um instante e logo desaparece.
15 Em vez de dizer:
‘Se o Senhor quiser, estaremos vivos
e faremos isto ou aquilo’,
16 vós vos gloriais de vossas fanfarronadas.
Ora, toda a arrogância deste tipo é um mal.
17 Assim, aquele que sabe fazer o bem e não o faz
incorre em pecado.
Palavra do Senhor.

Salmo – Sl 48, 2-3. 6-7. 8-10. 11 (R. Mt 5,3)

R. Felizes os humildes de espírito
porque deles é o Reino dos Céus!
2 Ouvi isto, povos todos do universo, *
muita atenção, ó habitantes deste mundo;
3 poderosos e humildes, escutai-me, *
ricos e pobres, todos juntos, sede atentos! R.6 Por que temer os dias maus e infelizes, *
quando a malícia dos perversos me circunda?
7 Por que temer os que confiam nas riquezas *
e se gloriam na abundância de seus bens? R.

8 Ninguém se livra de sua morte por dinheiro *
nem a Deus pode pagar o seu resgate.
9 A isenção da própria morte não tem preço; *
não há riqueza que a possa adquirir,
10 nem dar ao homem uma vida sem limites *
e garantir-lhe uma existência imortal. R.

11 Morrem os sábios e os ricos igualmente; +
morrem os loucos e também os insensatos, *
e deixam tudo o que possuem aos estranhos. R.

18-5Evangelho – Mc 9,38-40

Quem não é contra nós é a nosso favor. + Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos 9,38-40 Naquele tempo:
38 João disse a Jesus:
‘Mestre, vimos um homem expulsar demônios em teu nome.
Mas nós o proibimos, porque ele não nos segue.’
39 Jesus disse:
‘Não o proibais, pois ninguém faz milagres em meu nome
para depois falar mal de mim.
40 Quem não é contra nós é a nosso favor.
Palavra da Salvação.

Reflexão – Mc 9, 38-40

Uma das maiores dificuldades que podemos encontrar para a compreensão da ação divina no mundo encontra-se no fato de querermos submetê-la aos nossos critérios de inteligibilidade, principalmente no que diz respeito à religião institucional. O que acontece é que muitas vezes o agir divino fica vinculado a critérios meramente humanos ou a ritualismos que estão mais para prática de magia, alquimia e bruxaria do que para um relacionamento filial, de confiança e entrega. Outras vezes, esse agir divino é condicionado ao cumprimento de princípios legais que determinam se Deus pode agir ou não. Devemos nos lembrar que o Senhor é Deus e não nós.

Fonte: CNBB

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA