SANTA LUZIA – VIRGEM E MÁRTIR

(vermelho – ofício da memória)

Santa Luzia (Itália, 283-304), cujo nome evoca a luz, foi denunciada como cristã e martirizada a mando do imperador Diocleciano. É uma das sete mulheres mencionadas no Cânon Romano. Seu culto é atestado desde o século 5º.

Primeira Leitura: Sofonias 3,1-2.9-13

Leitura da profecia de Sofonias – Assim fala o Senhor: 1“Ai de ti, rebelde e desonrada, cidade desumana. 2Ela não prestou ouvidos ao apelo, não aceitou a correção; não teve confiança no Senhor nem se aproximou de seu Deus. 9Darei aos povos, nesse tempo, lábios purificados, para que todos invoquem o nome do Senhor e lhe prestem culto em união de esforços. 10Desde além-rios da Etiópia, os que me adoram, os dispersos do meu povo, me trarão suas oferendas. 11Naquele dia, não terás de envergonhar-te por causa de todas as tuas obras com que prevaricaste contra mim; pois eu afastarei do teu meio teus fanfarrões arrogantes, e não continuarás a fazer de meu santo monte motivo de tuas vanglórias. 12E deixarei entre vós um punhado de homens humildes e pobres”. E no nome do Senhor porá sua esperança o resto de Israel. 13Eles não cometerão iniquidades nem falarão mentiras; não se encontrará em sua boca uma língua enganadora; serão apascentados e repousarão, e ninguém os molestará. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 33(34)

Este infeliz gritou a Deus e foi ouvido.

  1. Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo, / seu louvor estará sempre em minha boca. / Minha alma se gloria no Senhor; / que ouçam os humildes e se alegrem! – R.
  2. Contemplai a sua face e alegrai-vos, / e vosso rosto não se cubra de vergonha! / Este infeliz gritou a Deus e foi ouvido, / e o Senhor o libertou de toda angústia. – R.
  3. Mas ele volta a sua face contra os maus, / para da terra apagar sua lembrança. / Clamam os justos, e o Senhor bondoso escuta / e de todas as angústias os liberta. – R.
  4. Do coração atribulado ele está perto / e conforta os de espírito abatido. / Mas o Senhor liberta a vida dos seus servos, / e castigado não será quem nele espera. – R.
Evangelho: Mateus 21,28-32

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, disse Jesus aos chefes dos sacerdotes e aos anciãos do povo: 28“Que vos parece? Um homem tinha dois filhos. Dirigindo-se ao primeiro, ele disse: ‘Filho, vai trabalhar hoje na vinha!’ 29O filho respondeu: ‘Não quero’. Mas depois mudou de opinião e foi. 30O pai dirigiu-se ao outro filho e disse a mesma coisa. Este respondeu: ‘Sim, senhor, eu vou’. Mas não foi. 31Qual dos dois fez a vontade do pai?” Os sumos sacerdotes e os anciãos do povo responderam: “O primeiro”. Então Jesus lhes disse: “Em verdade vos digo que os publicanos e as prostitutas vos precedem no reino de Deus. 32Porque João veio até vós, num caminho de justiça, e vós não acreditastes nele. Ao contrário, os publicanos e as prostitutas creram nele. Vós, porém, mesmo vendo isso, não vos arrependestes para crer nele”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

Jesus conta uma parábola aos chefes do povo e os deixa desconcertados. Não esperam pela clareza da mensagem, tampouco imaginam que os destinatários são eles próprios. Jesus lhes dirige uma pergunta. A resposta deles abre uma brecha para a sentença de Jesus: eles não acreditam em João Batista, que prega o caminho da justiça. São representados pelo primeiro filho. Em contrapartida, os cobradores de impostos e as prostitutas, que são considerados perdidos, fora da salvação, acreditam na pregação de João e se convertem. São representados pelo segundo filho da parábola. Vão entrar antes no Reino do Céu. Não basta uma religião da boca para fora, o que conta é mudar de vida e cumprir a vontade de Deus.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA