SÃO VICENTE DE PAULO – PRESBÍTERO E FUNDADOR

(branco – ofício da memória)

Vicente (França, 1581-1660), fundador da Congregação da Missão (Lazaristas) e das Filhas da Caridade (Vicentinas), foi apóstolo da caridade entre os pobres, doentes e sofredores. O amor com que tratou os mais necessitados espelhava o próprio Cristo.

Primeira Leitura: Jó 3,1-3.11-17.20-23

Leitura do livro de Jó – 1Jó abriu a boca e amaldiçoou o seu dia, 2dizendo: 3“Maldito o dia em que nasci e a noite em que fui concebido. 11Por que não morri desde o ventre materno ou não expirei ao sair das entranhas? 12Por que me acolheu um regaço e uns seios me amamentaram? 13Estaria agora deitado e poderia descansar, dormiria e teria repouso, 14com os reis e ministros do país, que construíram para si sepulcros grandiosos; 15ou com os nobres, que amontoaram ouro e prata em seus palácios. 16Ou, então, enterrado como aborto, eu agora não existiria, como crianças que nem chegaram a ver a luz. 17Ali acaba o tumulto dos ímpios, ali repousam os que esgotaram as forças. 20Por que foi dado à luz um infeliz e vida àqueles que têm a alma amargurada? 21Eles desejam a morte que não vem e a buscam mais que um tesouro; 22eles se alegrariam por um túmulo e gozariam ao receberem sepultura. 23Por que, então, foi dado à luz o homem a quem seu próprio caminho está oculto, a quem Deus cercou de todos os lados?” – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 87(88)

Chegue a minha oração até a vossa presença.

  1. A vós clamo, Senhor, sem cessar, todo o dia, / e de noite se eleva até vós meu gemido. / Chegue a minha oração até a vossa presença, / inclinai vosso ouvido a meu triste clamor! – R.
  2. Saturada de males se encontra a minha alma, / minha vida chegou junto às portas da morte. / Sou contado entre aqueles que descem à cova, / toda gente me vê como um caso perdido! – R.
  3. O meu leito já tenho no reino dos mortos, / como um homem caído que jaz no sepulcro, / de quem mesmo o Senhor se esqueceu para sempre / e excluiu por completo da sua atenção. – R.
  4. Ó Senhor, me pusestes na cova mais funda, / nos locais tenebrosos da sombra da morte. / Sobre mim cai o peso do vosso furor, / vossas ondas enormes me cobrem, me afogam. – R.
Evangelho: Lucas 9,51-56

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas – 51Estava chegando o tempo de Jesus ser levado para o céu. Então ele tomou a firme decisão de partir para Jerusalém 52e enviou mensageiros à sua frente. Estes puseram-se a caminho e entraram num povoado de samaritanos, para preparar hospedagem para Jesus. 53Mas os samaritanos não o receberam, pois Jesus dava a impressão de que ia a Jerusalém. 54Vendo isso, os discípulos Tiago e João disseram: “Senhor, queres que mandemos descer fogo do céu para destruí-los?” 55Jesus, porém, voltou-se e repreendeu-os. 56E partiram para outro povoado. – Palavra da salvação.

Reflexão:

Começa aqui a grande subida de Jesus para Jerusalém, para a cruz, para o céu. Ao longo do percurso, acontecem ensinamentos, encontros, milagres, controvérsias. A figura do discípulo se torna central. O verdadeiro discípulo é aquele que segue seu Mestre no caminho da renúncia a si mesmo e da solidariedade ativa com os pobres, os pequenos, os excluídos. Não é o que acontece com Tiago e João, ainda apegados aos antigos rancores entre judeus e samaritanos. Com efeito, diante da recusa de hospedagem dos samaritanos, esses dois discípulos propõem que sejam exterminados. O apelo deles ao poder divino está a serviço da vingança odiosa. Jesus reprova esse espírito de intolerância dos discípulos e mantém a firme resolução de caminhar para Jerusalém, onde vai entregar a própria vida em favor de todos.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA