15ª SEMANA COMUM

(verde – ofício do dia)

Deus é poderoso refúgio para pessoas, cidades e países que enfrentam situações desafiadoras e angustiantes. Para isso, porém, é preciso acolher seu agir salvífico e viver em conformidade com ele.

Primeira Leitura: Isaías 7,1-9

Leitura do livro do profeta Isaías – 1No tempo de Acaz, filho de Joatão, filho de Ozias, rei de Judá, aconteceu que Rason, rei da Síria, e Faceia, filho de Romelias, rei de Israel, puseram-se em marcha para atacar Jerusalém, mas não conseguiram conquistá-la. 2Foi dada a notícia à casa de Davi: “Os homens da Síria estão acampados em Efraim”. Tremeu o coração do rei e de todo o povo, como as árvores da floresta diante do vento. 3Então disse o Senhor a Isaías: “Vai ao encontro de Acaz com teu filho Sear-Iasub (isto é, ‘um resto voltará’) até a ponta do canal, na piscina superior, na direção da estrada do campo dos Pisadores; 4e dirás ao rei: ‘Procura estar calmo; não temas nem estremeça o teu coração por causa desses dois pedaços de tição fumegantes, diante da ira furiosa de Rason e da Síria, e do filho de Romelias, 5por terem a Síria, Efraim e o filho de Romelias conjurado contra ti, dizendo: 6‘Vamos atacar Judá, enchê-lo de medo e conquistá-lo para nós, e nomear novo rei, o filho de Tabeel’. 7Isto diz o Senhor Deus: ‘Este plano fracassará, nada disso se realizará! 8Que seja Damasco a capital da Síria e Rason o chefe de Damasco; dentro de sessenta e cinco anos deixará Efraim de ser povo; 9que seja a Samaria capital de Efraim e o filho de Romelias chefe de Efraim. De resto, se não confiardes, não podereis manter-vos firmes’”. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 47(48)

O Senhor estabelece sua cidade para sempre.

  1. Grande é o Senhor e muito digno de louvores / na cidade onde ele mora; / seu monte santo, esta colina encantadora / é a alegria do universo. – R.
  2. Monte Sião, no extremo norte situado, / és a mansão do grande rei! / Deus revelou-se, em suas fortes cidadelas, / um refúgio poderoso. – R.
  3. Pois eis que os reis da terra se aliaram / e todos juntos avançaram; / mal a viram, de pavor estremeceram, / debandaram perturbados. – R.
  4. Como as dores da mulher sofrendo parto, / uma angústia os invadiu; / semelhante ao vento leste impetuoso, / que despedaça as naus de Társis. – R.
Evangelho: Mateus 11,20-24

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, 20Jesus começou a censurar as cidades onde fora realizada a maior parte de seus milagres, porque não se tinham convertido. 21“Ai de ti, Corazim! Ai de ti, Betsaida! Porque, se os milagres que se realizaram no meio de vós tivessem sido feitos em Tiro e Sidônia, há muito tempo elas teriam feito penitência, vestindo-se de cilício e cobrindo-se de cinza. 22Pois bem! Eu vos digo, no dia do julgamento, Tiro e Sidônia serão tratadas com menos dureza do que vós. 23E tu, Cafarnaum! Acaso serás erguida até o céu? Não! Serás jogada no inferno! Porque, se os milagres que foram realizados no meio de ti tivessem sido feitos em Sodoma, ela existiria até hoje! 24Eu, porém, vos digo, no dia do juízo, Sodoma será tratada com menos dureza do que vós!” – Palavra da salvação.

Reflexão:

É fácil entender a desilusão do missionário que não mede esforços para anunciar o evangelho; desgasta-se em benefício do povo e, por fim, nota que seu empenho parece inútil. Jesus parece ter provado esse mesmo sentimento (de decepção) em relação a algumas cidades que receberam sua visita: seus habitantes permaneceram indiferentes e inertes; não acolheram a mensagem do Reino, não se converteram e não se tornaram discípulos de Jesus. Daí seu desabafo: “Ai de você…”. Para esse povo de coração duro não faltou a presença de Deus, não faltaram as palavras de vida eterna. São Paulo, certa vez, inconformado com a inveja e as ofensas dos adversários, assim falou: “Como vocês a rejeitam (palavra de Deus) e não se julgam dignos da vida eterna, eis que vamos aos gentios” (At 13,46).

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA