SANTO ANTÔNIO DE PÁDUA

PRESBÍTERO E DOUTOR

(branco – ofício da memória)

Antônio (Portugal, 1195-1231) abraçou a vida de pobreza na Ordem Franciscana. De notáveis inteligência e formação, foi um dos maiores pregadores da Igreja. Após abandonar as missões por problemas de saúde, pôs seus dons a serviço da ordem, a pedido do próprio são Francisco, e viveu em Pádua (Itália) os últimos anos. É santo de grande devoção popular.

Primeira Leitura: 2 Coríntios 1,18-22

 

Leitura da segunda carta de são Paulo aos Coríntios – Irmãos, 18eu vos asseguro, pela fidelidade de Deus: o ensinamento que vos transmitimos não é “sim e não”. 19Pois o Filho de Deus, Jesus Cristo, que nós – a saber: eu, Silvano e Timóteo – pregamos entre vós nunca foi “sim e não”, mas somente “sim”. 20Com efeito, é nele que todas as promessas de Deus têm o seu “sim” garantido. Por isso, também, é por ele que dizemos “amém” a Deus, para a sua glória. 21É Deus que nos confirma, a nós e a vós, em nossa adesão a Cristo, como também foi Deus que nos ungiu. 22Foi ele que nos marcou com o seu selo e nos adiantou, como sinal, o Espírito derramado em nossos corações. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 118(119)

 

Fazei brilhar vosso semblante ao vosso servo!

  1. Maravilhosos são os vossos testemunhos, / eis por que meu coração os observa! – R.
  2. Vossa palavra, ao revelar-se, me ilumina, / ela dá sabedoria aos pequeninos. – R.
  3. Abro a boca e aspiro largamente, / pois estou ávido de vossos mandamentos. – R.
  4. Senhor, voltai-vos para mim, tende piedade, / como fazeis para os que amam vosso nome! – R.
  5. Conforme a vossa lei, firmai meus passos / para que não domine em mim a iniquidade! – R.
  6. Libertai-me da opressão e da calúnia, / para que eu possa observar vossos preceitos! – R.
  7. Fazei brilhar vosso semblante ao vosso servo / e ensinai-me vossas leis e mandamentos! – R.
Evangelho: Mateus 5,13-16

 

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 13“Vós sois o sal da terra. Ora, se o sal se tornar insosso, com que salgaremos? Ele não servirá para mais nada, senão para ser jogado fora e ser pisado pelos homens. 14Vós sois a luz do mundo. Não pode ficar escondida uma cidade construída sobre um monte. 15Ninguém acende uma lâmpada e a coloca debaixo de uma vasilha, mas sim num candeeiro, onde ela brilha para todos os que estão em casa. 16Assim também brilhe a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e louvem o vosso Pai que está nos céus”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

 

Terminada a proclamação das bem-aventuranças, Jesus convida seus discípulos e a multidão a serem agentes transformadores da sociedade. O sal comunica sabor e preserva alimentos. Os cristãos devem embeber-se de vitalidade, entusiasmo, convicção e alegria em vista do Reino de Deus. Sem características como essas, a comunidade não terá vivacidade, será carente de fé, fraternidade e esperança. A luz ilumina ao seu redor. As obras de justiça e fraternidade não devem ficar escondidas; ao contrário, devem ser visíveis e acessíveis, para a glória de Deus. Cristãos e cristãs poderão conquistar multidões de pessoas pela força do testemunho: “Se virem o testemunho de comunidades autenticamente fraternas e reconciliadas, isso é sempre uma luz que atrai” (Papa Francisco).

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA