Leituras
1Rs 17,7-16
Sl 4,2-8
Mt 5,13-16

 

10ª Semana do Tempo Comum – Ano C

 

Terça-Feira

 

Primeira Leitura: 1Rs 17,7-16

Milagre em Sarepta.7Após alguns tempos, a torrente secou por não chover na região.  8 E Javé dirigiu-lhe a palavra dizendo: 9“Levanta-te, e vai a Sarepta de Sidon, e ali permanecerás; eis que ordenei a uma viúva que te dê sustento”.10 Levantou-se, então, e foi a Sarepta. Chegando à porta da cidade, encontrou uma viúva a ajuntar lenha. Chamou-a e disse: “Traze-me, por favor, um pouco de água no jarro, para eu beber”. 11Quando ela já estava a caminho, chamou-a e disse: “Traze-me, por favor, um pedaço de pão em tua mão”.12 Ela respondeu: “Pela vida de Javé, teu Deus! Não tenho nenhuma migalha, a não ser um punhado de farinha na vasilha e um pouco de azeite na jarra; e eis que ajunto dois paus de lenha; em seguida voltarei para a casa e prepararei o pão para mim e meu filho, comeremos, e depois morreremos”.13 Tornou-lhe Elias: “Não temas! Volta para casa e faze, como disseste. Prepara-me somente, antes de tudo, um pequeno bolo e traze-me; depois prepararás para ti e o teu filho.14 Porque assim diz Javé, Deus de Israel: ‘A vasilha de farinha não se esvaziará, nem acabará o azeite que está na jarra até o dia em que Javé enviar chuva sobre a face da terra!’”.15Ela foi e fez o que Elias tinha dito. Durante dias puderam comer: ela, seu filho, e Elias. 16A vasilha de farinha não se esvaziou e o azeite da jarra não diminuiu, segundo a palavra de Javé dita através de Elias.

Salmo: Sl 4,2-8

R. Sobre nós fazei brilhar o esplendor da vossa face!

2 Ó Deus, minha justiça, escuta-me, eu te invoco; alívio na aflição, tem pena e ouve-me a prece!

3 Ó homens até quando, o coração fechando, amareis o que é vão, buscareis o que é falso?

4 Pois sabei que o Senhor assiste o que é fiel, escuta-me o Senhor quando clamo por ele.

5 À noite, em vossos leitos, não cedais à cólera; calai, se o coração dentro de vós se insurge.

6 Oferecei a Deus as oblações devidas, colocai no Senhor a vossa confiança.

7 Tantos a interrogar: “Quem nos fará felizes?”, e basta-nos, Senhor, a luz da tua face.

8 Dás ao meu coração muito mais alegria que em tempo de fartura o trigo e o vinho novo.

Evangelho: Mt 5,13-16

13 Vós sois o sal da terra. Mas se acaso o sal vier a perder o sabor, com que poderá recuperá-lo? Não serve mais para nada. É jogado fora e pisado pelos homens.14 Vós sois a luz do mundo. Uma cidade situada no alto de um monte não pode ficar escondida. 15 Nem se acende uma lâmpada para colocá-la debaixo de uma vasilha, mas no seu próprio lugar, de onde brilha para todos os que estão na casa. 16 Assim brilhe vossa luz diante dos homens, para que, vendo as vossas boas obras, glorifiquem a vosso Pai que está nos céus.

Leituras: Diretório da Liturgia e da Organização da Igreja no Brasil 2016 – Ano C – São Lucas, Brasília, Edições CNBB, 2015.

Citações bíblicas: Bíblia Mensagem de Deus, São Paulo, Edições Loyola e Editora Santuário, 2003.

Boa Nova para cada dia

Vós sois a luz do mundo (Mt 5,14).

Assim brilhe a vossa luz diante dos homens,

para que vejam vossas boas obras

e louvem o vosso Pai que está nos céus. (Mt 5,16).

Este Evangelho nos mostra Jesus dando os conselhos já dados por Isaías, já considerados no Salmo, e orienta nossa imitação de Jesus, sendo Ele mesmo a luz do mundo (Jo 8,12).

Do que aprendemos na Liturgia da Palavra de hoje, ainda é necessário pôr um ponto final, o ponto de chegada que dá sentido a tudo o que é obra de caridade, de Jesus Cristo ou nosso louvor a Deus (Mt 5,16).

Para que e por que seguimos a vontade de Deus fazendo a caridade como Jesus Cristo? Deixemos que o próprio Jesus nos responda:

Assim brilhe a vossa luz diante dos homens,

para que vejam vossas boas obras

e louvem o vosso Pai que está nos céus (Mt 5,16).

Aqui está a resposta: o Louvor e Glória de Deus.

Quando toda a salvação da humanidade se consumar no último dia, o que restará?

Somente o Louvor e Glória de Deus, por toda a eternidade.

Pensemos com calma sobre isto, porque esta instrução muitas vezes escapa à nossa memória, ou, até mesmo, pode ser que nunca a tenhamos entendido, apesar de ler este Evangelho muitas vezes.

Terminaremos, assim, nossa Liturgia da Palavra enriquecidos em nossa instrução, conscientes de que de fato somos luz por meio da caridade fraterna, felizes por termos esta autocompreensão aprofundada. E mais do que tudo, estaremos louvando e dando Glória a Deus.

Autor: Pe. Valdir Marques, SJ, Doutor em Teologia Bíblica pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA